sexta-feira, 30 de julho de 2010

Ausente

São as forças que nos fogem por entre os dedos e nos fazem cair de podridão aniquiladora.

É uma dor prolongada que nos deixa de rastos, uma falta de sorrisos, uma enchente de lágrimas sufocantes e suspiros imensos. É bater á mesma porta todos os dias e saber que jamais será a mesma pessoa a abri-la. São palavras cheias de nada e olhares que sofrem pela mesma coisa. É uma necessidade que nos transcende a todos os níveis e nos faz questionar o que não se pode considerar questão.

É um desconserto da alma preso no luto e uma falta constante liberta de tudo.

E é assim que tudo parece, difícil.


Difícil de encarar com o sorriso de quem está feliz.

3 comentários:

  1. mesmo que por vezes tudo o que escrevamos pareça em vão e sem sentido, que as palavras estão vazias e que o que nos parece necessário deitar cá para fora seja o que ninguém vai perceber, há sempre alguém que entende e se sente no mesmo ponto da história que leu.

    ResponderEliminar
  2. Bi , para mim as palavras ja não prometem nada!
    são meras palavras que saem das pessoas.
    'vejo' como as pessoas são pelas atitudes ... pelos momentos do dia-a-dia!
    As pessoas revelam - se só pelas atitudes.

    És Grande, e estas sempre no meu coração <'3

    ResponderEliminar

"Tudo o que escrevo não está escrito em livro algum senão no meu, tudo o que sinto não é sentido por mais pessoa senão a minha. Um obrigado do fundo do coração a todos aqueles que fazem deste sonho uma realidade." Bianca D'Sousa