terça-feira, 27 de julho de 2010

Humana

Há muita coisa que quero fazer e que ainda não fiz, não por falta de vontade nem de tempo mas por falta de coragem.
Sei que tenho tempo, mas tudo que gira há minha volta parece parado há já alguns »tic-tac's«.
Não há nada que os mova, nada que os faça ver que o que fazem destroi tudo o que construí até agora.
O sentido de destruição de todos não tem que ser o sentido de cada um.
Talvez seja preciso individualismo para salvar o que ainda tem salvação, de outra forma não vejo jeitos de retomar tudo o que está gasto, velho.
 Olham-nos como alimento, matam-nos com as palavras sujas de quem não sabe ser gente. E, nisto, somos obrigados a descer até onde eles quiserem.

Na vida temos momentos iguais (ou piores) a este, em que só quem nos mata nos pode salvar.

»Ao contrario deles ainda Sou Humana. Mas até Quando?«

2 comentários:

"Tudo o que escrevo não está escrito em livro algum senão no meu, tudo o que sinto não é sentido por mais pessoa senão a minha. Um obrigado do fundo do coração a todos aqueles que fazem deste sonho uma realidade." Bianca D'Sousa