quinta-feira, 24 de junho de 2010

Ás vezes

I
Ás vezes deparamo-nos
Com palavras vazias,
Roupas furadas,
E pessoas famintas
De nada.

É nesses momentos
Que a vida parece o
Que não é,
e é quando
tudo se torna vazio
e de sentido inverso
áquilo que já foi.


II

Não somos nada
Quando pensamos que somos tudo,
Pensamos que pintamos o mundo
Quando na verdade,
É ele quem nos pinta.

E quando a noite cai
E tu chegas ofegante,
o gelo quebra-se na almofada
como pecados de uma vida.

(É por amar demasiado as palavras que me deixo iludir com elas.)

2 comentários:

  1. Eheh, muito obrigado :) Claro que podes ;D Beijinho

    ResponderEliminar
  2. Gostei bastante... O teu blog está muito bom... Vou seguir, um beijinho*

    ResponderEliminar

"Tudo o que escrevo não está escrito em livro algum senão no meu, tudo o que sinto não é sentido por mais pessoa senão a minha. Um obrigado do fundo do coração a todos aqueles que fazem deste sonho uma realidade." Bianca D'Sousa