sábado, 25 de setembro de 2010

Criança



Pediram-me que escrevesse algo realmente significativo para muitos, algo importante para poucos e quase nada para todos. Escrevi, escrevi, mas nada saiu como o previsto. Recolhi todos os erros de cada frase e juntei os num bloco de notas, fiz dele o meu dicionário de parvoíces e ao escrever através dele percebi que estava a fazer algo que nunca fizera antes.
Quando dei por terminado o pior trabalho de sempre, entreguei-o e esperei a respiração daquelas pessoas para embarcar na pressa de regressar a casa e esconder-me no arrependimento.
Nunca mais tive coragem de voltar àquele lugar para saber o quão errada eu tinha sido mas na minha memoria ficou que nem só o que é certo é que deve ser feito e que o erro de uns pode ser a mais valia de outros.
Não foi um feito histórico da minha infância nem coisa que se pareça mas é algo que caminha comigo, para o resto da vida.
*

3 comentários:

  1. apercebo-me à medida que vou lendo os teus textos que o teu gosto por escrever é grande, escreves com alma!
    Eu gosto, continua assim :)
    beijo*

    ResponderEliminar
  2. Obrigado Diana pelo apoio que tens dado :)
    Obrigado pelos teus comentários e pelas tuas bonitas Palavras *
    Um muito obrigado do fundo do meu Coração :)

    Beijinho.

    ResponderEliminar

"Tudo o que escrevo não está escrito em livro algum senão no meu, tudo o que sinto não é sentido por mais pessoa senão a minha. Um obrigado do fundo do coração a todos aqueles que fazem deste sonho uma realidade." Bianca D'Sousa