quarta-feira, 20 de julho de 2011

Sentido



E o que me resta, é ir embora, ir embora.

Há momentos na nossa vida em que tudo parece vulgar e inutilmente perdido.
Há lugares pelos quais já passamos que transmitem-nos a sensação de que somos os primeiros e os últimos a lá passar. Há palavras e expressões que ficam-nos no ouvido, como ensinamentos .
Há musicas que lembram-nos pessoas que já nos deixaram faz tempo, as quais não conseguimos esquecer.
Há sentimentos que acompanham-nos a vida toda e outros que surpreendem-nos ao longo da mesma.
De todas estas "coisas" há uma que completa e une o Homem de forma a que este não perca (nunca) nenhuma das suas virtudes - a memória.
É nela que habitam todos os momentos, permanecem todos os lugares, estão escritas todas as palavras, cantadas todas as músicas e guardados todos os sentimentos.
É a memória que uniformiza tudo o que não parece ter forma, é ela que faz do mais simples e vulgar a mais bela e preciosa das recordações.
Tudo o que vivemos é como o por do sol - se não houver quem o deseje na manhã seguinte, a noite reinará para a eternidade.
É a vontade que guia tudo o que realmente somos e vivemos.

sexta-feira, 8 de julho de 2011

Para todos aqueles que amam

Sabe aquele casal perfeito? Um dia eles vão se separar. Sabe aquele casal impossível? Um dia eles vão se amar ao extremo. Porque? Simples, essa é a lógica do amor. Confundir sua cabeça.As noites passam tão devagar quando estás longe - o relógio parece parado, o meu coração atarantado e os meus passos parecem cada vez mais incertos.
Cada vez que oiço alguém a subir as escadas, as minhas pernas ficam tremules, o chão parece parado e o meu coração acelera, incerto de todas as certezas - o teu regresso.
Please just say you’ll come back…
São horas e horas de sofrimento, de dor, de desengano. Horas perdidas sem tempo para pensar na pessoa que espera, mas sim na pessoa por quem espero. Cada dia que passa, as olheiras aumentam, o coração fica mais fraco e a alma mais vazia. O que desejo é perder a esperança - sentimento maldito e traiçoeiro que nos leva a trocar a vida por um momento de desengano.
Quero acreditar que tudo isto vai terminar, que as paredes do quarto vão mover-se com os nossos sorrisos, que os lençóis vão voltar a dançar ao ritmo do nosso suor (...)
Contudo, o tempo é escasso para tudo o que necessito. As noites estão mais escuras do que um dia já foram, tal como os lábios mais secos que a própria água.
Estas palavras incertas e amadas que citei, são para o amor que perdi, a vida que escolhi, o destino que não tracei e o caminho que, cobardemente, recusei seguir.

Para todos aqueles que amam - o amor doí, a dor sofre e só sofre quem verdadeiramente ama.

quarta-feira, 6 de julho de 2011

O papel da Memória

Quando eu digo que deixei de te amarÉ por que te amoQuando eu digo que não quero mais você,É por que te queroEu tenho medo de te dar meu coraçãoE de confessar que estou nas tuas mãosMas não posso imaginar o que vai ser de mimSe eu te perder um diaEu me afasto e me defendo de você, mas depois me entregoFaço tipo, falo coisas que eu não sou,Mas depois eu negoMas a verdade é que eu sou louco por vocêE tenho medo de pensar em te perderEu preciso aceitar que não dá mais para separar as nossas vidasE nessa loucura de dizer que não te queroVou negando as aparências, disfarçando as evidênciasMas para que viver fingindoSe eu não posso enganar meu coraçãoEu sei que te amo, chega de mentirasDe negar meu desejoEu te quero mais do que tudo, eu preciso do teus beijosEu entrego a minha vida para você fazer o que quiser de mimSó quero ouvir você dizer que simDiz que é verdade, que tem saudadeQue ainda você pensa muito em mimDiz que é verdade, que tem saudade,Que ainda você quer viver pra mimAssim, o coração é uma "máquina" que a razão trai e a alma corrompe até que a memória compõe a ferida e faz a máquina recuperar a obra perdida - uma vida de felicidades e desengano.

Guardo no peito tudo aquilo que tem e nunca teve sentido - as palavras falhadas, os actos perdidos, os planos quebrados, os copos partidos, as noites sozinha, as manhãs perdidas (enfim) .
O coração suporta tudo aquilo que a razão rejeita.É ele que nos permite sofrer, lutar, falhar e voltar a sofrer. É ele que nos faz querer continuar a lutar, mesmo sabendo que, o mais provável, é voltar a falhar.
Por sua vez, na alma habita tudo aquilo que um dia teve existência - os sorrisos infantis, as gargalhadas da melhor amiga, os suspiros do infante, as lágrimas das noites perdidas (...) uma tralha de coisas que nos marcaram mas que, por vezes, nos passam ao lado até que, mais tarde, as vamos buscar e atribuir-lhes o devido significado.
O coração, a razão e a alma caminham de mãos dadas com a memória. É nela que tudo isto se conjuga e é graças a ela que o caminho perdido é retomado. É a memória que dá sentido e continuidade a tudo o que construimos, a tudo o que sonhamos e lutamos para obter.