segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Na 1ª pessoa para o resto do mundo

"Carrego na memoria um peso de lembranças mal lavadas pela chuva de um tempo que cessa em passar. Brincam comigo as recordações de uma infância perdida, irritam-me as recordações de um passado inacabado e as promessas de um futuro que não chega. Não é a ambição de ser eterno mas a fraqueza de esperar por tanto. Eu sou assim, um poeta sem nome ... um anjo a quem partiram as asas mesmo antes de as criarem naquela tela branca á qual todos ousam chamar vida."
"Eu sempre quis ser tudo em toda a parte e nunca fui nada em lado algum."

2 comentários:

"Tudo o que escrevo não está escrito em livro algum senão no meu, tudo o que sinto não é sentido por mais pessoa senão a minha. Um obrigado do fundo do coração a todos aqueles que fazem deste sonho uma realidade." Bianca D'Sousa