quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Traída

Vivo na promessa de um regresso, aterrorizada pelo passado que, piedosamente,esmagou-me a memória. As lágrimas já se esgotaram de tanto que as usei e as unhas, essas nem as vejo.

Sinto no peito um vazio autentico, algo que não consigo descrever por muitas vezes que reflicta em algo que o defina.
O correio nunca mais voltou a colocar as cartas na caixa que eu mesma parti, e os lençóis ... esses, estão gastos, velhos e sujos á espera que tu voltes para muda-los.
E, ainda que perdidamente derrotada, eu sinto que a guerra ainda não terminou e, com ela, levará mais soldados como eu.
 Nunca me deras tanto tempo para pensar em algo assim...

 
Ainda te amo.

9 comentários:

  1. É uma das músicas da minha vida :) e eu sou viciada nas composições de Yann Tiersen inclusivé a "Comptine d'un Autre Été: l'aprés-midi" q tens aqui a tocar, é linda!
    E gostei do texto, identifiquei-me com o q escreveste (:

    ResponderEliminar
  2. Quando ficamos sozinhas, sem quem amamos tudo se torna mais complicado, as linhas se embolam tornando tudo muito confuso.

    Amei o que você escreveu e por sinal escreve muito bem.
    Beijos :*

    ResponderEliminar
  3. gosto bastante do que posso ler por aqui :) e nada como uma boa melodia a acompanhar ;) continua..*

    ResponderEliminar
  4. Gostei muito deste texto.
    Obrigada pela opinião (:

    ResponderEliminar

"Tudo o que escrevo não está escrito em livro algum senão no meu, tudo o que sinto não é sentido por mais pessoa senão a minha. Um obrigado do fundo do coração a todos aqueles que fazem deste sonho uma realidade." Bianca D'Sousa