quarta-feira, 7 de julho de 2010

Dependente

Eu olhava-me com os olhos dele e ele olhava-se com os meus, a voz era dele e não minha, e a voz dele era a minha e não a dele. Estava no corpo errado, na mente errada num local totalmente errado.
Desde logo percebi que as nossas almas se tinham cruzado e trocado em função dos nossos corpos, não sabia que tínhamos tanto para dar um ao outro mas em pouco tempo o que foi dado retirou-se e eu caí na ravina de um pesadelo.

A alma dele nunca mais voltou a cair em mim mas a minha parece uma quarta parte do que foi antes de se cruzar com a dele.

2 comentários:

  1. woow tão profundo.
    adorei o teu blogue, também vou seguir :b

    ResponderEliminar
  2. Quem dá de verdade, deixa sempre um bocado de nós próprios para receber algo dos outros.
    Nunca mais somos os mesmos.
    Optimo texto :)

    ResponderEliminar

"Tudo o que escrevo não está escrito em livro algum senão no meu, tudo o que sinto não é sentido por mais pessoa senão a minha. Um obrigado do fundo do coração a todos aqueles que fazem deste sonho uma realidade." Bianca D'Sousa