segunda-feira, 7 de junho de 2010

Vulgar

As pessoas olhavam-me de tal forma que me despiam com os olhos, tudo á minha volta estava voltado para mim, até o meu pior inimigo me olhava com serenidade.
Eu era, agora, a deusa do mundo deles. O tempo tinha parado e mesmo que eu me sentisse a caminhar, estava o tempo todo parada, as pessoas eram sempre as mesmas por muito que parecessem outras.

Eu tinha a perfeita noção de que tudo não passava de um sonho, e que quando acordasse estaria novamente sozinha, mas se sonhar era a única forma de me sentir importante, eu iria sonhar para o resto da vida.

Sem comentários:

Enviar um comentário

"Tudo o que escrevo não está escrito em livro algum senão no meu, tudo o que sinto não é sentido por mais pessoa senão a minha. Um obrigado do fundo do coração a todos aqueles que fazem deste sonho uma realidade." Bianca D'Sousa