terça-feira, 8 de junho de 2010

Lua

Cada carta foi escrita como se fosse a ultima, e em todas as tuas chegava a promessa de um regresso.
Sinto que esperei tempo demais, mas tempo nenhum é demasiado para amar-te, tempo nenhum.
E mesmo não sabendo onde estás agora, sei que a lua que partilhamos é a mesma em qualquer parte do mundo, e que é grandiosa ... como tu.

*repito e repito até que voltes.

Sem comentários:

Enviar um comentário

"Tudo o que escrevo não está escrito em livro algum senão no meu, tudo o que sinto não é sentido por mais pessoa senão a minha. Um obrigado do fundo do coração a todos aqueles que fazem deste sonho uma realidade." Bianca D'Sousa